segunda-feira, 1 de agosto de 2011

COMPREENDENDO OS SENTIMENTOS!

fotos-animadas-casal
Um importante sentimento fica bem claro nas queixas dos casais.
Tanto o homem quanto a mulher querem se sentir amados, serem importantes como indivíduos, reconhecidos pelas suas características individuais. Ninguém quer se sentir usado, nem ser o remédio para curar solidão.
Todas as mudanças nos costumes geram de início uma crise de acomodação. É a luta pela nova posição. Ninguém quer sair perdendo.
Ambos têm medo de se machucar.
Cada qual quer se defender tentando sobrepujar o poder do outro, numa competição de gestos e palavras, onde o que mais falta é a conversa.
"O bom ouvinte é aquele que, ao falar, abre espaços para que as bolhas de sabão do outro voem livres. Bola vai, bola vem - cresce o amor... Ninguém ganha para que os dois ganhem. E se deseja então que o outro viva sempre, eternamente, para que o jogo nunca tenha fim". Ensina Rubens Alves.
A conquista natural da independência financeira e da realização profissional fazem parte de um planejamento de vida. Que ambos consigam a vitória na luta pela prosperidade deve ser a meta.
Não está descartada a hipótese de relacionamentos neuróticos onde muitos casais se alimentam do sofrimento, do medo e da angústia. Pra esses casais tudo seria um tédio se não houvesse a tensão dos conflitos e a emoção de "ficar de bem". Acham excitante o sexo depois de uma "boa briga". Necessitam de tratamento psicanalítico.
Casamento é união, é empatia, que quer dizer se colocar no lugar do outro e tentar experimentar o que sentiria se estivesse na situação experimentada pela pessoa amada.
O sucesso no relacionamento é você se sentir realizado no campo afetivo com um ser semelhante a você - com qualidades e defeitos.
E no campo profissional, é se contentar em ser o melhor que você pode e não melhor do que o seu par.
Para buscar a felicidade, o sucesso a dois, conjugue o verbo amar em todo o seu sentido.
Nele estão inseridos doação, tolerância, empatia e amor próprio.
Maria de Lourdes Micaldas
Revisão: Anna Eliza Führich

Nenhum comentário:

Postar um comentário