quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

HOMEM INFELIZ COM SUA PRÓPRIA VIDA!


Resultado de imagem para relacionamento amorosos destrutivos

Em primeiro lugar quero deixar claro que eu  não estou generalizando, existem homens resolvidos em todas áreas , não são perfeitos , porém são saudáveis ao tratar uma mulher, até no momento de não quererem mais continuar uma relação amorosa ou uma ficada, eles conseguem ser gentis , amáveis  e inteligentes em suas palavras e ações.
Diferente daqueles homens infelizes com sua sexualidade, com seu trabalho, com suas relações desastrosas e que saem passando o trator nas pessoas como se elas fossem culpadas por eles estarem na vida merecida que estão.
Não sabem diferenciar as mulheres que contribuíram para que eles aprendessem algo bom em suas vidas, são egoístas e a convivência com esses  homens  se torna cada vez pior, intolerável,  são confusos, não sabem lidar com a mãe e se tiverem filhas pior ainda, deve ser uma maldição  ter um pai confuso, egoísta que sente prazer em maltratar mulheres.
Geralmente esses homens  sofrem de uma doença psíquica  enorme chamada rejeição e autoestima baixa ,  são incapazes de separar experiências novas das quais viveram no passado , são incapazes de perdoar a si próprio e as pessoas que muitas vezes eles acusam de serem culpadas da situação pela qual eles vivem. 
Se acham o dono da razão e não conseguem entender a si próprio.
São literalmente confusos. Livre - se deles, só causam angústia, mal estar  e muita vontade de matar.
Aí você pensa, se vingar de um frustrado desse seria perder um tempo precioso, ele não entenderia, são incapazes de entender qualquer situação nova , somente a vida desgraçada que tem.
Um tempo atrás eu e uma amiga tivemos a infelicidade ou a felicidade de conhecer homens que aparentemente pareciam saudáveis, resolvidos e interessantes. SÓ QUE NÃO!
Conseguiram sustentar esse comportamento de bom moço por algum tempo, depois viraram um surto de conflitos , incapazes de respeitar qualquer pessoa , principalmente mulheres,  não são capazes de separar a tristeza de  suas vidas com suas novas relações, são desprovidos de inteligência em refletir que nós mulheres não somos culpadas do inferno de vida que eles optaram por ter.
Todos nós já passamos por situações difíceis , muitos já foram rejeitados , machucados e nem por isso nos tornamos pessoas ruins e bipolares, uma hora se declara apaixonado e outra humilha.
Ninguém tem culpa da tua infelicidade, hoje existem diversos tratamentos que pode te tornar menos complicado, o que eu quero dizer com esse texto, ninguém é obrigado a tolerar homens mal resolvidos , confusos e doentes. Se te machuca , vá embora! Existem milhares de homens no planeta e bem melhor do que esse.
Mônica de Paula Silva

sábado, 7 de janeiro de 2017

SE AFASTE TAMBÉM!

Resultado de imagem para homens cruéis COM MULHERES
Alguns homens costumam sumir e se afastar. E ai você vai lá e corre atrás, o que é um erroooo tremendo, você está criando um monstro com isso. Faz o seguinte, se ele não te ligou, não ligue também. Se ele parou de te procurar, se afaste também. Seja um espelho. Isso sempre funciona, SEMPREEEE! Nada de reclamar, do que aconteceu, se ele te ofendeu, desrespeitou, não diga nada, porque ele sempre sabe o que fez de errado, só suma, desligue o telefone, se for o caso, guarde num cofre, pra não correr o risco de atender ou ligar, dê um tempo de três a cinco dias dependendo do que ele fez. É bem capaz de com isso ele aparecer desesperado na porta da sua casa, enquanto que se você fizesse o contrário, ele iria te esnobar, e se achar na razão, e você iria criar mais comportamentos ruins da parte dele. Quando ele te procurar, trate-o como conhecido, e se ele falar sobre o assunto pra consertar, só diga que não aceita esse tipo de coisa, e que na próxima pra ele não te procurar mais, ele vai entender!
FONTE: http://fazerhomemvalorizar.com/como-dar-um-gelo-parte-2/

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

LIBERTE-SE DO SOFRIMENTO DO QUAL VOCÊ JÁ CONHECE.


Resultado de imagem para sofrimento da alma

Muitas vezes achamos que o outro foi injusto e cruel, Será?
Repetimos as mesmas situações, achando que o externo vai se modificar, Será?
Temos a maldita ilusão de que o outro vai nos trazer a esperançosa felicidade, Será?
Nos desdobramos em comportamentos do qual muitas vezes não é nosso para agradar aquele que na nossa infeliz ilusão vai se importar, Será?
Colocamos o outro no seu devido lugar? Não!
Voltamos a repetir situações e dizemos : Estou consciente , porém meu comportamento continua o mesmo, sou um ratinho condicionado as minhas feridas do qual eu já aceitei como parte da família. Eu escolhi viver com essas feridas, Será? 
Falamos tanto de mudanças, principalmente quando inicia o ano novo e na hora H, voltamos a descer as escadas do sofrimento e ainda culpamos os outros, esse outro tem sua parcela , porém a maior parcela é a nossa , que aceita e não levanta da cadeira para dizer: FOI UM MAL ESTAR EM TROCAR AS MINHAS EXPERIÊNCIAS COM A TUA, PORÉM EU ME RETIRO COM PAZ NO MEU CORAÇÃO E TE DEIXO LIVRE , PORQUE ?
Porque a minha necessidade de me encontrar e de me valorizar e muito maior do que as migalhas doentia do qual você tenta me iludir ou das migalhas que eu aceitei por muitos anos, achando que era só isso que eu merecia.
Aprendi em toda  minha vida,  que era somente um caminho. 
Só que não!
Eu me dou o direito de conhecer todos os caminhos , sem reservas, sem preconceitos, sem a necessidade de achar que a minha felicidade está nas mãos de qualquer pessoa, porque não está na mão de ninguém , SOMENTE EM MINHAS MÃOS!
Eu com a busca da libertação, com a busca do auto conhecimento vou permanecer em algo que eu já conheço, como por exemplo o sofrimento? NÃO! 
Por esse motivo, situações repetitivas, projeções do qual eu não faço parte , eu simplesmente abandono e  deixo em PAZ! 
Caso as situações sejam diferentes, estou a disposição para aprender, caso ao contrário, MUITO OBRIGADO!

Mônica de Paula Silva


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

HUMILHAÇÃO.





Aquele recado gostoso do Adler pra quem se sente melhor que todo mundo!

"...Segundo Adler o sentimento de inferioridade faz nascer um desejo compensatório de superioridade, de dominação e de poder que pode conduzir a alguma forma de sucesso pessoal, ou traduzir-se em desejos irrealistas e na busca de objetivos irrealizáveis que caracterizam a neurose. Se a criança sentir grande dificuldade de impor ao mundo exterior seu verdadeiro ego, seu desejo natural de poder transformar-se-á em obsessão. Isto se observa nos casos de compensação. O desejo de superioridade, então, torna-se doentio".#FreudEstupefato.

domingo, 25 de dezembro de 2016

ADEUS A TUDO QUE NOS TRÁS SOFRIMENTO!

Resultado de imagem para gente que suga energia

ADEUS ÀS ILUSÕES
"Onde não houver amor, não se demore. (Eleonora Duse)
Temos muita dificuldade em colocar um ponto final e de “partir para outra”, nos vários setores de nossa vida, como se fugíssemos à responsabilidade de ter de arcar com a dor advinda com esse despedir-se, como se aquilo que está feito, feito está, o que é uma inverdade, pois, muitas vezes, a permanência traz uma segurança ilusória. E assim vamos pagando um preço alto por nossa covardia e fingimento para com ninguém mais do que nós mesmos.

Os caminhos que temos à nossa frente são entremeados por bifurcações e armadilhas e, sem que percebamos, somos muitas vezes levados a optar por alternativas às quais é mais fácil nos acomodarmos. Acomodar-se, porém, pode também significar passividade e conformismo, sendo que sentimentos estanques não nos impelem às mudanças necessárias ao nosso desenvolvimento como pessoas. Conformar-se demais pode nos custar a distância de uma outra verdade - com a qual nos identificaríamos melhor -, a desonestidade com nossas vontades e um crescente arrependimento, nocivo tanto ao nosso bem estar quanto à harmonia com quem está ao nosso lado.
É preciso dizer adeus ao amor que já deixou de acelerar nossos corações, que já não sorri quando nos vê, que não nos dá as mãos, pois não caminha ao nosso lado, que não nos pergunta se dormimos bem, se almoçamos, ou o porquê das lágrimas suspensas em nossos olhares distantes. É necessário despedir-se do amor que trai e fere, que já nem é amor, nem amizade, nem troca ou cumplicidade, tampouco conforto e necessidade.
Diga adeus à amizade que já deixou de fazer falta, que não tem tempo de ouvir e animar, que já não aparece em busca de conselhos, nem quer saber de sua vida. É preciso despedir-se de amizades que não acrescentam, que nos diminuem, que nos trocam facilmente, que usam nossos segredos contra nós, puxam nossos tapetes, esgotam nossas energias.
É preciso dizer adeus ao serviço que nos empobrece, que alimenta nossa miséria emocional, que nos impede de sorrir, que não nos oferece oportunidades, que nos assedia moralmente, não nos ouve. É necessário despedir-se dos chefes desumanos, dos colegas de trabalho hipócritas, das jornadas extenuantes, da mesquinharia com o cafezinho, dos gritos e erros destacados, da humilhação velada, da estagnação que anula nossas capacidades, da cordialidade venenosa na mesa ao lado.
Digamos adeus ao lar que já não nos comporta em tudo o que somos e queremos, que extrapola os nossos limites, que cobra por nos amar, tolhe nosso caminhar e não mais entende o que falamos. É preciso despedir-se do quarto sem privacidade, da TV sempre ligada, da roupa emprestada da irmã, da cópia das chaves da porta, da consulta ininterrupta ao relógio nas noites de diversão.
É preciso dizer adeus à esperança de que o outro vá mudar, à espera vã do telefonema, da resposta que nunca chega, do convite que nunca é ouvido, do “eu te amo” nunca dito, do abraço não correspondido, do olhar que não penetra fundo, do reconhecimento nunca recebido. É necessário despedir-se de quem nos fere, no corpo e na alma, de quem nos incomoda, dos xingamentos, das noites insones, da violência alheia, da ânsia pelo fim do expediente, pelo fim do dia.
Diga adeus ao não existir, ao sufocamento dos desejos, à raiva contida, às ofensas engolidas, aos desvios de caminhos, aos projetos não realizados, aos sonhos que não acordam, à morte em vida. É preciso despedir-se das roupas que já não nos servem, dos CDs que não ouvimos, das cartas que já nem lemos, das lembranças que nos ferem, das fotos envelhecidas no tempo, da sombra da infidelidade, das obrigações que criamos e não nos levam a nada.
Não nos demoremos em lugares onde não nos sintamos vivos, amados, onde não respiremos direito, onde não possamos ser verdadeiros. O desapego é difícil, pois requer o enfrentamento corajoso do que fizemos de nossas vidas, do que somos e sentimos, e encarar as escolhas erradas traz dor e culpa. Além disso, quando rompemos com o que parece estabelecido em nossa jornada, mexemos também com as vidas que caminham conosco e teremos que trilhar uma árdua batalha, até que sejamos compreendidos, ou não. O importante é que estaremos agindo em busca de nossa felicidade, partindo ao encontro de nosso lugar no mundo e na vida de alguém. Ninguém pode ser condenado por tentar ser feliz, quando o fizer de forma ética e sincera, sem desrespeitar a si mesmo nem a ninguém mais. Quem nos ama de verdade acabará entendendo a necessidade de nossa atitude, torcendo pelo nosso sucesso, onde e com quem estivermos.
Nossa sobrevivência depende do adeus às ilusões, da coragem para iniciarmos as despedidas necessárias, tendo a consciência de que as infinitas possibilidades que se descortinarão a partir de então compensarão as perdas pelo caminho. Ninguém é obrigado a aceitar com resignação e conformismo aquilo que pode - e deve - mudar. Todos, afinal, temos o direito de viver e de respirar com alívio, com a certeza de que o que deixamos para trás ficou exatamente onde deveria: lá atrás, bem distante, não tendo mais poder algum sobre nossas vidas e nossa busca pela felicidade
publicado em recortes por Marcel Camargo

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

PROJEÇÃO: O que vemos nos outros fala muito sobre nós mesmos

Imagem relacionada
Os outros agem como um espelho para a nossa mente, nele vemos refletidas diferentes qualidades ou aspectos do nosso próprio ser. Quando observamos alguma coisa que não gostamos em alguém, sentindo desagrado e rejeição, isto pode indicar que de alguma forma esse aspecto nos desagrada também em nós mesmos. A projeção psicológica nos faz pensar que o defeito apenas existe ali fora, nessa outra pessoa.
A projeção psicológica é um mecanismo de defesa mediante o qual uma pessoa atribui a outras pessoas sentimentos, pensamentos ou impulsos próprios que nega ou que são inaceitáveis para si mesma. Quando a nossa mente entende que existe uma ameaça para a saúde mental, esta irá atribuir qualidades inaceitáveis a um sujeito externo a nós mesmos.
Desta forma, nossa mente consegue se enganar e colocar outros conteúdos ameaçadores para fora de si mesma. Estas projeções são válidas tanto para as características negativas, como ódio, rancor, inveja, quanto para as positivas, admiração, idealização, carinho. Portanto, quando criticamos em excesso as outras pessoas, é possível que estejamos criticando a nós mesmos.
“Não vemos os outros como são, mas sim como somos nós mesmos.”
-Emmanuel Kant-