quarta-feira, 9 de novembro de 2016

ANSIEDADE NEURÓTICA.

Resultado de imagem para ansiedade neurótica

A ansiedade está ligada com a expectativa que possui o individuo, ansiedade por algo. O pai da psicanálise, Sigmund Freud, classificava a ansiedade em três tipos: Realística, Neurótica e Moral. Sendo elas: A realística seria o medo de alguma coisa do mundo externo (por exemplo: punição dos pais).  A ansiedade moral seria aquela que decorre do medo de ser punido (sentirei culpa se fizer o que estou querendo fazer). E a ansiedade neurótica que é o medo inconsciente, não se sabe qual é o objeto. Esta ultima ocorre devido a natureza perturbadora e assustadora, cuja consciência não possui estruturas no momento, porém quando é analisada a ansiedade se torna realista ou moral.
Na teoria freudiana, o ego do individuo desenvolve uma proteção contra a ansiedade que consiste em negações inconscientes ou distorção da realidade. Chamamos essa proteção de mecanismos de defesas, simplificando, poderíamos dizer que os mecanismos fazem com que o individuo possua algumas anormalidades para preservação de seu ego.
Os mais comuns transtornos associados à ansiedade descritos na Classificação Internacional de Doenças (CID-10) que atendo em meu consultório são:
Transtorno do pânico, Agorafobia (medo de locais onde há multidão pelo fato de pensar não poder sair ), Fobia sociais (medo da humilhação no contexto social, sente-se exposto a julgamento e avaliação de outrem), Fobias específicas (as simples fobias: medo de objetos ou situações). Transtorno de Ansiedade generalizada (TAG) (Sem situação especifica), Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) (ideias obsessivas ou comportamentos compulsivos).
Cada caso é tratado de forma diferente, pois remete a um tipo distinto da origem da ansiedade, por isso, não existe uma receita pronta para cura-la.
FONTE: http://www.psicologiamsn.com/2014/11/os-3-tipos-de-ansiedade-para-freud.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário