quarta-feira, 25 de setembro de 2013

SOMOS ESCRAVOS DAQUILO QUE NUTRIMOS EM NOSSA MENTE.

É ótimo quando somos mestres dos nossos sentimentos, quando equilibramos nossas  reações diante dos estímulos desgraçados do mundo, quando ficamos com raiva por causa de quaisquer bobagens ou situações injustas em nosso ver, não estamos controlando nossas emoções.
Como diz o autor Joseph Murphy, do livro “A força do Poder da Fé”, é preciso aprender a misturar o intelecto  e as emoções harmoniosamente, por meio da lei da substituição mental, trocamos um pensamento negativo por outro positivo e construtivo isso tudo é uma questão de treino.
Gostamos energia pensando em assuntos que nos incomoda, porém maltratamos o nosso corpo, mas quando decidimos pensar em assuntos bons e saudáveis nosso semblante muda imediatamente diante do que nós trazemos paz interior.
Se você deseja sinceramente governar as emoções deve manter o controle dos pensamentos, paz, amor e fé em DEUS, e assim os pensamentos causador de dores não conseguirão entrar.
Saibamos que pensamentos e sentimentos são as causas das situações e experiências, o medo baseia-se nas crenças falsas de que há outros poderes (como o diabo) e que as condições exteriores podem nos prejudicar.
Eu acredito que existam demônios, porém se você alimentar os seus pensamentos relacionados ao mal que essas potestades malignas possam causar você daria a eles privilégio em sua mente e assim tiraria a gloria que só pertence a DEUS criador do céu e da terra e mas ninguém.
Quando temos controle dos nossos pensamentos não necessitamos de conceitos demoníacos para nos paralisarmos, afinal muitos lideres religiosos usam esses demônios  para nos transmitir medo e não paz de espírito, lembrando que DEUS é paz de espíritos na mente e não medos diabólicos.
Atrair coisas boas que nos fazem prosperar e não nos paralisar, não devemos dar glorias aos medos demoníacos, pois o mal atua em mentes desorientada, busquem orientações de pessoas saudáveis e não de pessoas fanáticas ao ponto de deixa-los mais doentes.
Somos-nos responsáveis pela nossa cólera, inveja, raiva e outros sentimentos destrutivos, qualquer um de nós temos alternativas de escolhas, evitamos escolher pensamentos que nos deixa doente e sim pensamentos que nos modifiquem o nosso semblante e nosso sorriso.
Escrito por Mônica de Paula Silva.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário